Modernistas contra acadêmicos? A pintura de Hugo Adami

Ivana Soares Paim

RESUMO

O presente artigo tem como objetivo explicar a confusão que alguns críticos de arte fazem ao falar sobre as obras de arte brasileira produzida em São Paulo, entre o final do século XIX e início do XXI. Os críticos tendem a chamar de arte acadêmica, desconsiderando o fato de que foi por muito influenciada pelas tendências realista e naturalista. Para deixar claro que essas obras de arte tinham muito mais de traços realistas, especialmente Italianones, as pinturas Hugo Adami foram usadas neste estudo, pois suas obras de arte podem ser colocadas em uma linha de transição entre o Realismo / Naturalismo do final do século XIX e o modernismo do início do seguinte.

ABSTRACT

The present article aims to explain the confusion some art critics make when talking about the Brazilian artworks produced in São Paulo, between the end of the nineteenth century and the beginning of the twentieth one. Those critics tend to call that art academic, disregarding the fact that it was by far influenced by the realistic and naturalistic trends. To make it clear that those art works had much more of realistic traits, especially Italianones, Hugo Adami’s paintings were taken in this study, since his art works could be placed in a transitional line between the Realism/Naturalism of the end of the nineteenth century and the Modernism of the beginning of the following one.

Download (PDF) | Visualizar Artigo

Palavras-Chave: , ,