Arquivo › Artigos
  • A Poética de Amedeo Modigliani – O Anjo de Olhar Grave

    Resumo | Download (PDF) | Visualizar Artigo

    A Poética de Amedeo Modigliani – O Anjo de Olhar Grave



    Artista que viveu apenas 36 anos, em que parte deles coincidiu com os anos difíceis da Primeira Guerra Mundial. A exposição organizada pelo Restelini permite a apreciação das contribuições de Modigliani nos dias de hoje, e monitora as mensagens das densas experiências deste artista . As pesquisas realizadas por Modigliani mostram suas preocupações, bem como a gravidade do ponto econômico-social do momento de efervescência de debates estéticos.
    Hoje, através da exposição Modigliani: O Anjo Melancolico, o público tem a oportunidade de acompanhar as experiências do artista e saber mais sobre os eventos no contexto ou até mesmo refletir sobre as questões mais emergentes da arte do século por vir.
    Em suas obras são evidências de intensa reflexão e ternura para os menos afortunados. A escolha dos temas e modelos demonstra estas preocupações. Assim, aparecem em suas obras: a filha da mulher no comando do edifício, as crianças fracas e meninas bonitas do povo.

    Comentários desativados em A Poética de Amedeo Modigliani – O Anjo de Olhar Grave
  • Textura ótica do texto: o visível com condição do legível

    Resumo | Download (PDF) | Visualizar Artigo

    Textura ótica do texto: o visível com condição do legível



    Nosso propósito é um carta-desenho de Di Cavalcanti, enviada para Mario de Andrade. O sentido surge da relação entre o desenho do retrato e da escrita do retrato que o pintor fez de si mesmo. Para resgatar o legível e o visível, uma carta de Poussin enviada para Chantelou em 1639, será o instrumento heurístico para a nossa análise.

    Comentários desativados em Textura ótica do texto: o visível com condição do legível
  • Recontando o recontado

    Resumo | Download (PDF) | Visualizar Artigo

    Recontando o recontado



    Há alguns títulos que, sob um olhar furtivo, causam tumultos e mexem com a nossa imaginação. O texto de Ana Maria Machado – Ponto a ponto – e o tema de uma reunião na Universidade de Brasília – LER: o ensino de leitura e recepção – intertextualizados no ato da leitura são suficientemente provocadores.
    Então, a partir deles pode surgir uma forma de rasgar-se, como com um bisturi em uma folha de papel em branco e desenhar com a palavra. Neste modo de pensar, podemos escrever o nosso texto, começando por citar um ensaio de Glawinski (1977), no qual o autor diz que a crítica literária só recentemente se tornou interessado na leitura, seja como objeto de reflexão, ou como uma ferramenta descritiva.

    Comentários desativados em Recontando o recontado